Artigos

Aluguel de Ações no exterior: Entenda como funcionam

Aluguel de ações

Já falamos em outros artigos sobre o processo de internacionalização dos investimentos através de um guia completo de compra de ativos. Entretanto, dessa vez vamos falar sobre uma modalidade menos conhecida para os iniciantes no mercado financeiro: o aluguel de ações.

É muito comum, tanto no Brasil como no exterior, alugarmos vários tipos de ativos/bens. É o caso de casas, apartamentos, escritórios, carros, roupas. O aluguel de ações segue a mesma lógica e é mais uma das oportunidades de diversificação de investimentos e geração de renda no exterior que os investidores podem buscar.

Você deve estar se perguntando como é possível realizar esse tipo de operação e é sobre isso que falaremos nesse artigo completo que traz todos os aspectos que devem ser levados em consideração.

O que é o Aluguel de Ações?

No mercado financeiro, o aluguel de ações – ou empréstimo de ativos – é o modo que os investidores usam para gerar renda extra e aumentar a rentabilidade da carteira sem ter que vender suas aplicações. Assim, os donos dos ativos lucram com as taxas do aluguel, enquanto os locatários usam a modalidade como oportunidade de investimento.

Funciona da seguinte forma: o doador, que é o investidor que possui os papéis em sua carteira, empresta os ativos a outro investidor, no caso o tomador, mediante a cobrança de uma taxa de aluguel.

Os doadores geralmente são investidores de longo prazo que não têm interesse em se desfazer das ações imediatamente. Por outro lado, os tomadores precisam das ações temporariamente para realizar estratégias específicas no mercado, como a venda a descoberto.

A venda a descoberto, ou short selling, é uma prática financeira onde os investidores realizam a venda de um ativo que foi alugado, esperando que o preço caia para então comprá-lo de volta e lucrar com a diferença antes de devolver ao doador.

Vamos supor que um investidor tomador aluga uma ação e a vende por $100,00 acreditando que a mesma cairá. Quando o valor desta ação chegar em $70,00, por exemplo, ele a recomprará por este valor, e a diferença de $30,00 irá ficar no bolso do tomador em forma de lucro bruto. O doador lucrará com a taxa de aluguel cobrada em cima desse lucro e o tomador ainda terá um ganho com o negócio realizado.

O aluguel de ações é bem semelhante ao aluguel de imóveis. Ao colocar suas ações para alugar, o investidor tem a possibilidade de obter uma rentabilidade adicional por meio da taxa de aluguel, além dos dividendos e da possibilidade de valorização no longo prazo. O tomador, por sua vez, utiliza as ações para realizar vendas a descoberto e obter lucro com a diferença entre o preço de venda e o preço de recompra.

Entre os ativos que podem ser alugados estão: Stocks, REITs, ETFs e ADRs.

Como alugar ativos em corretoras internacionais?

Cada corretora estrutura a locação de ativos de uma determinada forma, mas não há muita complexidade. O doador deve ativar na plataforma da sua corretora a opção de empréstimo de portfólio e informar os ativos que deseja negociar. O restante do processo é totalmente automático e por conta da corretora.

Para a modalidade de aluguel só é possível disponibilizar ativos inteiros, ou seja, frações de ativos não entrarão nos contratos de locação. Por exemplo, se você tem na sua carteira 5,81 ações da Microsoft (MSFT), apenas 5 ações poderão entrar nos contratos de locação. A fração de 0,81 da MSFT não poderá ser alugada.

O aluguel não acontece imediatamente após a liberação do doador na plataforma da corretora. Os ativos serão anunciados pela corretora para os possíveis tomadores e, apenas havendo interesse por parte desses, o contrato é fechado.

Quais são os riscos envolvidos no aluguel de ativos?

O principal risco para o tomador é o de mercado, já que os ativos podem não se comportar como o esperado, resultando em prejuízo na operação. Ou seja, aquela ação que o tomador apostou que sofreria uma queda para que ele recomprasse por um preço mais baixo não seguiu a previsão, porém ele terá que recomprar assim mesmo para devolver a mesma para o doador. É aí onde está o risco de insucesso e é algo natural considerando a volatilidade do mercado.

Por outro lado, os riscos são limitados para os doadores, pois a própria bolsa de valores atua como contraparte e executa as garantias caso o tomador não devolva as ações. Como o investidor que está alugando precisa apresentar garantias exigidas pela corretora de valores, no caso de não honrar os pagamentos a própria corretora resolverá a situação. Ou seja, para o doador não existem riscos.

Tipos de ativos que podem ser alugados

Em corretoras internacionais, é possível alugar diversos ativos de renda variável, como:

·   Ações (stocks): São títulos que representam uma fração do capital de uma empresa. Quando um investidor compra ações, ele se torna um acionista e passa a ter direito a uma parte dos lucros da empresa e a participar das decisões importantes.

·     REITs (Real Estate Investment Trusts): São ativos de empresas americanas que compram e operam imóveis para obter lucros. A compra de um REIT é feita como uma ação.

·   ETFs (Exchange Traded Funds): São fundos que investem em várias ações diferentes. Investindo em um ETF, o investidor pode se expor a mais de 100 empresas de forma simples e com uma gestão profissional por trás.

·  ADRs (American Depositary Receipts): São recibos de ações de empresas estrangeiras negociados na bolsa de valores dos Estados Unidos. É uma forma de se expor às bolsas de valores internacionais através de empresas europeias, asiáticas e de outros locais.

Quanto ganho no aluguel de ativos?

O aluguel de ativos é uma alternativa de ganho para os investidores que pensam no longo prazo. Isso porque as taxas de retorno do empréstimo são discretas, dado que o tomador precisa ter algum lucro após o pagamento da locação.

As taxas não são tabeladas. Elas são definidas pela dinâmica do mercado. O principal ponto levado em consideração é a lei da oferta e da demanda daquele ativo pelos investidores. Por exemplo, quando há muitas apostas de que o preço de um ativo irá cair e pouca oferta de locação do mesmo, as taxas colocadas sob ele são mais altas.

A média da taxa de ganhos vai de 0,3% a 3% ao ano. Há casos atípicos que pagam mais, porém são muito pontuais. Para situações mais comuns, vamos considerar uma média de 1% ao ano para termos números mais palpáveis.

A tabela abaixo traz uma simulação de retornos anuais para um caso de US$10.000,00 em ativos locados considerando períodos de 1 a 20 anos de locação.

Simulação de ganhos em dolar

Os pagamentos das taxas ocorrem mensalmente, entretanto, as corretoras trazem as estimativas de ganho sempre em números anuais.

Vantagens do aluguel de ativos

Para os doadores:

·    Rentabilidade extra através do pagamento das taxas de aluguel por parte do tomador;

·    Não há taxas extras cobradas pelas corretoras no processo de disponibilização dos ativos para locação;

·         É mantida a posse dos ativos e, consequentemente, continua se beneficiando das vantagens financeiras: pagamentos de dividendos e valorização da ação no longo prazo;

·      O ativo não fica bloqueado em caso de decisão de venda. Nesse caso, o doador receberá a taxa proporcional ao período em que o ativo permaneceu alugado.

Para os tomadores:

Para os tomadores, a principal vantagem é a possibilidade de ganhos com apostas na desvalorização de ações. Eles podem vender os ativos de acordo com suas estratégias sem influência do doador.

Desvantagens do aluguel de ativos

Para os doadores:

Para o doador o risco pode ser considerado mínimo, já que no pior dos cenários – o tomador não devolver os ativos – a corretora poderá executar as garantias para que a operação seja liquidada sem prejudicar o dono dos papéis.

Para os tomadores:

·         Flutuação da ação além da expectativa do tomador no mercado;

·         Taxa de aluguel estipulada pelo mercado fugindo do previsto;

·         Risco de venda dos ativos antes do término do contrato.

Perguntas frequentes sobre aluguel de ações nos EUA

Quanto ganho para alugar ações?

O rendimento anual de aluguel de ativos é entre 0,3% a 3%. No entanto, há ativos que podem entregar taxas mais altas, o que é contrabalanceado por um risco maior em relação a performance da empresa.

Como declarar rendimentos de aluguel de ações?

Os rendimentos de aluguel de ações devem ser declarados no Imposto de Renda na ficha de “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”.

Qual a vantagem de alugar ações?

A principal vantagem de alugar ações é permitir que o proprietário obtenha uma renda extra além dos proventos e valorização dos ativos, pelo empréstimo a terceiros.

Quem aluga ações recebe dividendos?

Quem aluga ações recebe dividendos, além de receber uma taxa de aluguel pelos ativos emprestados. Isso aumenta o total recebido por parte do investidor.

Sumário

Invista no exterior de forma profissional!

Aprenda como investir na maior bolsa de valores do mundo.

Leo Fittipaldi
Leo Fittipaldi
Fundador da Dolarame e analista de investimentos certificado (CNPI 3214). Já foi analista de risco na maior Asset do Brasil, atuando em fundos de investimentos com alguns bilhões de reais sob gestão. Atualmente é um dos maiores especialistas em investimentos internacionais do país.

Separamos mais esses artigos para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Abrir o bate-papo
Posso te ajudar?
Olá, posso te ajudar?