Artigos

Renda fixa americana: Como investir em 2023?

A renda fixa americana é um investimento estável e previsível. Os investidores emprestam dinheiro a entidades como o governo dos EUA ou empresas privadas, recebendo juros regulares e o retorno do capital no vencimento. Essa opção de baixo risco é uma escolha segura para investidores nos EUA.
Renda Fixa Americana

A busca por investimentos seguros e estáveis é uma prioridade para muitos investidores, e a renda fixa americana se destaca como uma opção confiável. Em 2023, as oportunidades de investimento nesse setor continuam a atrair a atenção de investidores de todas as partes do mundo.

Neste artigo, vamos entender o que é a renda fixa americana e forneceremos insights sobre como você pode começar a investir nessa modalidade. Se você deseja garantir um futuro financeiro sólido e estável, a renda fixa americana pode ser a resposta que você procura.

Vamos analisar o que torna essa forma de investimento tão atraente e como você pode entrar no jogo em 2023.

O que é renda fixa americana?

A renda fixa americana é uma modalidade de investimento que oferece aos investidores retornos regulares e previsíveis. Ao contrário de investimentos mais arriscados, como ações, a renda fixa americana é conhecida por sua estabilidade e segurança. Nessa forma de investimento, os investidores emprestam dinheiro a uma instituição, seja ela o governo dos Estados Unidos ou uma empresa privada, em troca de juros regulares e do retorno do capital investido no final do prazo do investimento.

O governo dos Estados Unidos emite vários tipos de títulos de renda fixa, incluindo os Títulos do Tesouro Protegidos contra a Inflação (TIPS) e os títulos do Tesouro dos Estados Unidos (Treasuries). Além disso, as empresas privadas também emitem títulos corporativos como uma maneira de levantar capital para financiar suas operações ou projetos.

A característica fundamental da renda fixa americana é que ela proporciona aos investidores um fluxo constante de renda, geralmente na forma de pagamentos de juros regulares. Esses pagamentos são considerados mais estáveis do que os retornos variáveis associados a investimentos em ações, tornando a renda fixa americana uma escolha popular para quem busca segurança e previsibilidade em seus investimentos.

Formas de investir na renda fixa americana

É verdade que o investidor que deseja investir em bonds tem diversas opções para fazer a sua alocação de capital. Por isso, vamos explicar um pouco sobre os principais tipos de bonds e como se expor a esse mercado.

Títulos do Tesouro Protegidos contra a Inflação ( TIPS )

Os Treasury inflation-protected securities (TIPS) são títulos de dívida emitidos pelo governo que possuem indexação à inflação. Consequentemente, quando ocorre aumento na taxa de inflação, os TIPS podem proporcionar maiores retornos em comparação aos títulos que não possuem tal característica.

À medida que a inflação aumenta, os TIPS são ajustados em preço para manter seu valor real, o que os torna uma opção popular entre os investidores, sobretudo quando a economia não está em boas condições ou quando há risco de inflação.

Para investidores estrangeiros, a forma mais acessível para comprar esse tipo de renda fixa americana é através dos ETFs. Os maiores ETFs de TIPS em valor de mercado são o TIP, o VTIP e o SCHP.

Os títulos corporativos (Corporate bonds)

Os títulos corporativos são títulos de dívida emitidos por empresas e vendidos a investidores, que recebem uma quantidade pré-estabelecida de pagamentos de juros em troca do capital investido.

As empresas vendem esses títulos para levantar capital para projetos específicos. Algumas empresas preferem as bonds ao invés de se financiar por ações, pois assim elas não perdem participação acionária ou controle na empresa.

De fato: as corporate bonds são consideradas mais arriscadas do que os títulos do governo dos EUA, já que os devedores são empresas, e não o governo. Por isso, elas geralmente têm taxas de juros mais altas para compensar esse risco. Isso significa uma maior rentabilidade ao investidor que esteja ciente dos riscos.

O investidor brasileiros que quiser se expor a esses ativos têm diversas opções de ETFs de corporate bonds, como VCIT, VCSH, LQD e outras. Além disso, o investidor pode optar por ETFs que contenham, em um mesmo ativo, tanto as corporate bonds quanto as government bonds. Por exemplo: BND e ACG.

ETFs

Os ETFs de renda fixa americana são fundos de investimento negociados em bolsa que visam replicar o desempenho de índices de títulos de dívida emitidos pelos Estados Unidos.

Eles propiciam aos investidores a oportunidade de adquirir e vender uma carteira de títulos de dívida de maneira simples e com taxas reduzidas, sem a necessidade de aquisição dos títulos individualmente.

Em virtude disso, os ETFs de bonds podem ser uma alternativa a considerar para quem procura diversificação e exposição ao mercado de títulos de dívida dos Estados Unidos. Alguns exemplos desses ETFs são LQDI, BNDX, STIP, HYGH, VSCH, entre outras. Cada uma possui suas particularidades.

Certificado de Depósito (CD)

Os Certificados de Depósito (CDs) são títulos que instituições financeiras estrangeiras emitem, que se assemelham aos Certificados de Depósito Bancário (CDBs) no Brasil.

De curto prazo, os CDs podem gerar rentabilidade superior aos títulos de dívida (bonds) em algumas circunstâncias. Entretanto, eles têm a desvantagem de não terem liquidez, pois não há mercado secundário para eles.

Para investir em CDs, é necessário abrir uma conta em corretora de valores nos EUA que possua a opção de investir nesse tipo de ativo. É o caso da Avenue, por exemplo.

Prós e Contras de Renda Fixa

Investir na renda fixa americana pode oferecer diversas vantagens. Em primeiro lugar, há uma ampla variedade de opções de investimento, desde títulos do governo até títulos corporativos.

Além disso, muitos desses títulos têm rating elevado, o que significa que são considerados investimentos seguros. Outra vantagem da renda fixa americana é a liquidez quando se compram bonds por meio dos ETFs.

Por mais que investir em bonds diretamente exija um maior capital inicial, os ETFs permitem a compra e venda dos ativos rapidamente e com baixos custos de transação. Além disso, há ainda a isenção de impostos no caso da venda desse tipo de ativo no limite de R$ 35 mil mensais.

Por outro lado, há desvantagens da renda fixa americana a considerar. Os títulos de renda fixa geralmente oferecem retornos mais baixos em comparação com investimentos de renda variável, como ações.

Além disso, alguns títulos podem ser sensíveis às mudanças nas taxas de juros, o que pode afetar negativamente o retorno do investimento.

Por fim, é importante lembrar que investir em títulos de renda fixa americana envolve risco. Por isso, os investidores devem sempre avaliar cuidadosamente seus objetivos e perfil de risco antes de investir.

Como começar a investir na bolsa americana

É possível investir em bonds de diversas maneiras. No entanto, a forma mais prática para brasileiros é através do cadastro em uma corretora internacional, como Avenue, Charles Schwab e TD Ameritrade.

Algumas corretoras internacionais oferecem facilidades para brasileiros, como a Avenue e o Banco Inter. Elas possuem menus em português e documentos que auxiliam na declaração do Imposto de Renda.

Outras, voltadas para o mercado internacional, podem não oferecer esse tipo de facilidade, mas compensam oferecendo uma gama maior de ativos. Sendo assim, o investidor deve buscar as vantagens e desvantagens de cada corretora.

Em algumas plataformas, será necessário usar plataformas de câmbio, como Nomad e Remessa Online, para enviar dólares e fazer a compra dos ativos. Outras corretoras já possuem operações de câmbio na própria plataforma, como Banco Inter e Avenue.

Assim, é possível comprar ETFs de bonds, sendo os maiores do mercado o BND, AGG e BNDX. O investidor pode optar por outros ETFs que se concentram apenas em treasury bonds (como USFR e TFLO) ou em apenas corporate bonds (como VCIT e VCSH).

Há, ainda, opções de acordo com o prazo de vencimento dos ativos. Isso significa que existem muitas opções e que o investidor deve estudar a sua alocação de ativos de maneira apropriada.

Sumário

Invista no exterior de forma profissional!

Aprenda como investir na maior bolsa de valores do mundo.

Leo Fittipaldi
Leo Fittipaldi
Fundador da Dolarame e analista de investimentos certificado (CNPI 3214). Já foi analista de risco na maior Asset do Brasil, atuando em fundos de investimentos com alguns bilhões de reais sob gestão. Atualmente é um dos maiores especialistas em investimentos internacionais do país.

Separamos mais esses artigos para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Abrir o bate-papo
Posso te ajudar?
Olá, posso te ajudar?