Artigos

Non Performing Loan (NPL): como funciona esse tipo de crédito?

Non Performing Loan (NPL), ou crédito não-produtivo, refere-se a empréstimos bancários que não foram pagos pelos clientes no prazo acordado, geralmente após 90 dias de atraso. Esses créditos representam inadimplência e podem ser vendidos por bancos a empresas especializadas, que tentam recuperá-los para obter lucro.
npl

As dívidas fazem parte da vida financeira de muitas pessoas e empresas. Algumas vezes, essas dívidas não são pagas dentro do prazo, o que pode gerar problemas tanto para o devedor quanto para a instituição que concedeu o crédito.

Esse tipo de situação é conhecido no mercado financeiro como Non Performing Loan (NPL) ou, em português, crédito não-produtivo. Neste artigo, vamos explicar o que é NPL, como ele funciona, seus impactos e a importância de acompanhar esse tipo de crédito.

O que é NPL (Non Performing Loan)?

Non Performing Loan, ou NPL, é um termo usado para descrever empréstimos bancários que não foram pagos pelos clientes dentro do prazo acordado. Em geral, um empréstimo é considerado um NPL quando o pagamento está atrasado por mais de 90 dias.

Esses créditos não pagos geram um ônus imediato para os bancos e outras instituições financeiras, que precisam lidar com a inadimplência. Quando uma dívida entra na categoria de NPL, o nome do devedor geralmente é incluído em listas de empresas especializadas, como SPC e Serasa, resultando no famoso “nome sujo”.

Além dos empréstimos de pessoas físicas, os NPLs também podem envolver dívidas corporativas, ou seja, de empresas que não conseguiram pagar seus empréstimos no prazo. Em alguns casos, um empréstimo pode ser classificado como NPL se a instituição financeira avaliar que há uma baixíssima probabilidade de quitação, mesmo que os 90 dias de atraso ainda não tenham sido alcançados.

Como funciona o NPL?

O mercado de NPL é bastante dinâmico, especialmente em períodos de crise econômica. Quando o desemprego aumenta e mais pessoas têm dificuldades financeiras, o número de NPLs tende a crescer.

Os bancos e outras instituições de crédito, ao perceberem que determinados empréstimos não serão pagos, optam por vender essas dívidas a empresas especializadas em NPL. Essas empresas compram os créditos não-produtivos por um valor menor do que a dívida total. A ideia é que o banco consiga reduzir seu prejuízo imediato, enquanto a empresa compradora espera lucrar quando conseguir cobrar os devedores.

Por exemplo, se um banco tem uma dívida de R$ 10.000 que está em atraso, ele pode vendê-la a uma empresa de NPL por R$ 5.000. O banco diminui seu prejuízo, recuperando parte do dinheiro que emprestou, e a empresa de NPL assume a responsabilidade pela cobrança da dívida. Se a empresa conseguir receber os R$ 10.000 do devedor, ela terá um lucro de R$ 5.000.

Essas negociações ajudam os bancos a manterem seus balanços financeiros mais equilibrados, liberando recursos para novos empréstimos e mantendo a saúde financeira da instituição. Para as empresas que compram NPLs, há a oportunidade de lucro, apesar dos riscos envolvidos na cobrança dessas dívidas.

Impactos do NPL

Os NPLs têm vários impactos no sistema financeiro e na economia como um todo. Para os bancos, a inadimplência representa um risco significativo. Quando um empréstimo não é quitado, a instituição que concedeu o crédito precisa absorver o prejuízo. Se muitos empréstimos se tornarem NPLs, o banco pode enfrentar dificuldades financeiras sérias, e em casos extremos, até a falência.

Mesmo vendendo os NPLs a outras empresas, os bancos ainda precisam lidar com parte do prejuízo, o que reduz seus recursos disponíveis para novos empréstimos. Como resultado, os critérios para concessão de crédito se tornam mais rigorosos, dificultando o acesso ao crédito para consumidores e empresas.

Essa restrição no acesso ao crédito tem um efeito dominó na economia. Com menos dinheiro disponível para empréstimos, os consumidores tendem a gastar menos, e as empresas podem reduzir seus investimentos. Isso pode levar a um ciclo econômico difícil de superar, onde a falta de crédito contribui para a desaceleração econômica.

Para os devedores, a inclusão na lista de NPL significa ter o nome registrado em órgãos de proteção ao crédito, o que dificulta a obtenção de novos empréstimos e pode afetar negativamente a vida financeira pessoal e empresarial.

Por que acompanhar o Non Performing Loan?

Acompanhar os NPLs é fundamental tanto para instituições financeiras quanto para investidores. Para os bancos, monitorar a evolução dos NPLs ajuda a manter a saúde financeira da instituição, permitindo ajustes nas políticas de crédito e estratégias de cobrança.

Para investidores, o mercado de NPLs pode oferecer oportunidades interessantes de lucro, embora envolva riscos consideráveis. Investir em empresas especializadas na compra e cobrança de NPLs pode ser uma estratégia lucrativa, especialmente em tempos de crise econômica, quando o volume de NPLs tende a aumentar.

Além disso, entender a dinâmica dos NPLs pode ajudar consumidores e empresários a gerenciar melhor suas finanças, evitando situações de inadimplência e os problemas associados ao “nome sujo”.

Conclusão

Os Non Performing Loans (NPLs) são uma parte inevitável do sistema financeiro, especialmente em períodos de dificuldades econômicas. Embora representem um desafio para as instituições financeiras, os NPLs também criam um mercado secundário onde empresas especializadas podem encontrar oportunidades de lucro.

Para os consumidores e empresas, evitar a inadimplência é crucial para manter uma boa saúde financeira. Acompanhar os NPLs e entender seu impacto pode ajudar a tomar decisões mais informadas e evitar os problemas associados a essas dívidas.

Assim, seja você um investidor, um empresário ou um consumidor, compreender como funciona o NPL e seus efeitos pode ser fundamental para navegar pelo complexo mundo das finanças.

Sumário

Invista no exterior de forma profissional!

Aprenda como investir na maior bolsa de valores do mundo.

Leo Fittipaldi
Leo Fittipaldi
Fundador da Dolarame e analista de investimentos certificado (CNPI 3214). Já foi analista de risco na maior Asset do Brasil, atuando em fundos de investimentos com alguns bilhões de reais sob gestão. Atualmente é um dos maiores especialistas em investimentos internacionais do país.

Separamos mais esses artigos para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima

O Dólar Pro está de VAGAS ABERTAS!

Se você quer de uma vez por todas aprender a analisar qualquer empresa na bolsa americana, encontrar as melhores oportunidades e ganhar cada vez mais dinheiro em dólar, essa é a oportunidade que você estava esperando.
Aprenda no Dólar Pro a fazer valuation e calcular o valor justo dos ativos, como fazem os maiores investidores da história.
R$ 1100,00 DE DESCONTO POR TEMPO LIMITADO
Dias
Horas
Minutos
Segundos
Abrir o bate-papo
1
Posso te ajudar?
Olá, posso te ajudar?